Categorias

Carros usados e seminovos valorizaram durante a crise?
18 nov

Carros usados e seminovos valorizaram durante a crise?

Parece estranho dizer que um veículo usado ganhou valor, mas essa é a realidade do mercado automotivo brasileiro em 2021. Em um momento normal de mercado, um veículo novo tende a perder entre 15% e 20% do valor de compra após um ano de uso.

Porém, o que aconteceu este ano foi que o preço dos usados e seminovos subiu até 20% e as vendas de carros dispararam. Os números surpreendem especialmente pelo contexto de crise econômica. Atualmente, é possível vender o seu seminovo por um preço maior do que aquele pago na primeira compra.

Neste artigo, você vai entender por que isso aconteceu e qual o panorama do mercado para os próximos meses.

 

Por que os carros usados valorizaram em 2021?

De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Febranave), entidade representativa do setor de distribuição de veículos no Brasil, o mercado de carros usados deve encerrar o ano com mais de 11 milhões de veículos vendidos. Esse é o melhor resultado da história do segmento.

Entender a alta dos preços significa analisar uma série de fatores. De maneira geral, a procura por veículos usados aumentou por conta da redução do poder de compra dos consumidores. Em um contexto de instabilidade econômica, a maior parte das pessoas busca economizar com as compras de alto valor aquisitivo.

Além disso, outro fator importante é a falta de peças no mercado, especificamente os semicondutores. Semicondutores são microchips responsáveis por fazer os componentes eletrônicos do carro funcionarem de forma certa. O controle eletrônico de estabilidade, a frenagem autônoma, o computador de bordo e até mesmo o câmbio assistido dependem dessa peça. 

A principal matéria prima para a produção dos semicondutores é o silício, segundo elemento químico mais abundante no planeta Terra. Com essa informação, era de se esperar que obter esse material seria algo fácil. No entanto, apenas 10 companhias são responsáveis por mais de 70% da fabricação de semicondutores no mundo. A maior parte das fábricas se encontra em países asiáticos e nos Estados Unidos.

 

Alta na demanda de semicondutores

Além da indústria automotiva, vários outros setores de tecnologia dependem dos semicondutores. Com o aumento das atividades remotas durante a pandemia do COVID-19, houve um aumento na demanda por equipamentos eletrônicos em todo o mundo. 

No final de 2019, a indústria asiática já sofria os primeiros efeitos da pandemia. Desde então, muitas fábricas de automóveis ficaram fechadas por um tempo, o que diminuiu a produção de veículos em 2020. 

Outros fatores agravantes foram um incêndio em uma das maiores fábricas japonesas de semicondutores e uma estiagem histórica em Taiwan, que prejudicou a fabricação dos microchips pela falta de água. 

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a montagem de um veículo pode demandar até 1.400 semicondutores. Com o aumento na busca por esses componentes por outros setores do mercado, a indústria automotiva, que estava em baixa em 2020, deixou de ser prioridade para os fabricantes dos chips.

Sem as peças necessárias para a produção, o mercado de veículos novos não consegue entregar um número suficiente de unidades. A previsão do mercado é de que a falta de semicondutores deve se manter no mínimo até a metade de 2022.

Leia também: como as marcas revolucionaram a produção automotiva através dos anos.

Como resultado, os veículos usados tiveram uma alta valorização em 2021. Modelos entre quatro e dez anos de uso valorizaram cerca de 13% no mercado. Vale destacar que, com o aumento no preço dos carros usados, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) também deve aumentar. 

Além dos carros, os ônibus também sofrem com a falta de semicondutores. As empresas de transporte já não conseguem adquirir novos veículos para atualizar as frotas. 

 

Afinal, é melhor comprar ou vender agora?

Identificar a melhor época para comprar ou vender seu carro pode ser um grande desafio. Apesar da valorização dos carros usados, esta não deixa de ser uma ótima época para trocar de carro

A dica aqui é dar preferência para usados com maior tempo de uso, a partir dos três anos. Assim, você consegue comprar um carro mais completo pagando menos e ainda perde menos dinheiro com a desvalorização do veículo no futuro. 

Em tempos de crise econômica, o segredo para manter a estabilidade financeira é planejar as compras e gastar com consciência. Será que comprar um carro nessa época é um bom investimento? Leia nosso post e descubra.

VOLTAR AO INÍCIO