Categorias

Quais são os gastos que devo considerar ao ter um carro?
6 ago

Quais são os gastos que devo considerar ao ter um carro?

Na empolgação de comprar um carro, o consumidor pode se esquecer que o valor de aquisição do veículo é apenas o primeiro passo. Esse é um bem que exige cuidados para mantê-lo, além dos impostos anuais. O próprio fato de ser um seminovo ou zero km também interfere nesses valores.

Por isso, é preciso muito planejamento para que a realização do sonho não se torne uma preocupação financeira. Isso não significa que você deve desistir da praticidade de ter um carro na garagem. Neste post vamos te explicar quais são os gastos que você deve considerar quando se tem um automóvel.

 

Valor do veículo

O primeiro e maior gasto de todos é a compra do veículo. A escolha deve priorizar as necessidades do motorista e o que cabe no seu bolso a longo prazo. Pois como você verá durante este post, o modelo do carro e o fator idade influencia em alguns dos outros gastos.

Em caso de veículos zero quilômetro, considere a taxa de depreciação que sofre nos primeiros anos. A partir do momento em que ele sai da concessionária, o carro perde cerca de 15% do seu valor no primeiro ano de uso e 10% no segundo. Um seminovo, ao contrário, já passou pelo período de desvalorização. Isso significa que, se quiser revendê-lo depois de alguns anos, a diferença do valor de compra e venda será bem menor do que se tivesse adquirido carro zero.

Outra questão é a forma de pagamento. Em caso de compra à vista, o consumidor tem a chance de economizar com um bom desconto. Se precisar parcelar ou optar pelo financiamento, porém, é bom ficar de olho nas taxas de juros, para que não comprometa o orçamento pessoal ou familiar. Às vezes o valor pago ao banco é equivalente a comprar outro carro.

 

Revisão

A revisão do veículo é essencial para continuar rodando com segurança e evitar prejuízos futuros. Um carro com a manutenção em dia não só assegura a vida do condutor e os passageiros, como também evita multas.

É como levar o carro ao médico para fazer exames preventivos e tratar do problema enquanto ele ainda não evoluiu. Geralmente as manutenções corretivas são bem mais caras do que as preventivas, então é muito importante se atentar às necessidades do seu veículo.

O ideal é que seja feita uma revisão a cada dez quilômetros rodados, seguindo as recomendações do manual do proprietário. A manutenção também pode ser antecipada em casos de acidentes, colisões ou dependendo das condições da estrada por onde trafega, que pode danificar ou desgastar as peças do veículo.

Quando o carro é novo, as revisões são obrigatoriamente feitas em concessionária para que não perca a garantia de fábrica, o que pode sair mais caro. Os seminovos ou usados, por sua vez, podem ser levados a um bom mecânico e, assim, até economizar.

 

Seguro

Dependendo de onde você mora, os riscos de roubo, furto e acidentes de trânsito podem ser maiores, sobretudo nas grandes cidades. Por isso, a aquisição de um seguro ou proteção veicular (link do Guia) é importante para garantir sua propriedade. Assim, você se resguarda da possibilidade de roubo, furto, colisões e danos a terceiros, além de incluir benefícios extras como guincho 24 horas e sistema de rastreamento e monitoramento.

Os valores dependem da seguradora ou associação e varia segundo os benefícios incluídos. No caso do seguro auto, também é considerado o perfil do condutor: o modelo do veículo, ano de fabricação, local de estacionamento e tipo de uso que se faz do veículo.  Se o (a) motorista for pessoa jovem e com poucos anos de carteira, presume-se que tenha menos experiência, e o valor do seguro também aumenta. A apólice para modelos mais visados por ladrões pode sair mais cara.

 

Combustível

Etanol ou gasolina? O valor do combustível varia muito segundo a época e o local, por isso, é necessário fazer uma média segundo o preço cobrado pelos postos próximos a você. Também considere qual a média de consumo litros/quilômetros do seu veículo.

O gasto depende também do uso diário que se faz do veículo e o tipo de motor. Os mais econômicos são os modelos 1.0, e quanto mais potente o carro maior será o consumo de combustível. Mas a escolha da potência do motor depende da necessidade do motorista e o tipo de trajeto que irá enfrentar: se asfalto ou estrada, morro ou plano, por exemplo.

Confira três dicas para economizar combustível.

 

Impostos

A partir da compra de um veículo, é preciso regularizar a documentação. Em caso de carros seminovos, algumas taxas já podem vir quitadas, mas considere também os anos seguintes à compra.

O primeiro deles é o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que varia segundo o modelo do carro, o ano de fabricação e o estado onde mora o condutor. Se não pagar este imposto, o veículo pode ser multado e apreendido até que o débito seja quitado.

O seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) também é obrigatório e deve ser pago no início de cada ano, junto do IPVA. Sua função é amparar financeiramente as vítimas de acidente de trânsito, cobrindo despesas hospitalares e indenizações.

Por último, o Certificado de Registro de Veículo (CRV), que comprova que o veículo está em condições de circular. Esse importa é pago ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e varia segundo o estado.

O motorista também terá um gasto extra com o pagamento de multas se cometer infrações de trânsito. Além de colocar a própria vida e a de terceiros em risco, em caso de imprudências, o que não há dinheiro que pague.

 

Lavagem

Além da revisão, seu carro precisa de limpeza frequente não só para manter a boa aparência, mas para conservá-lo. Uma lavagem simples deve ser feita a cada quinze dias, e a qualidade do serviço e produtos utilizados é importante para manter a pintura.

Para quem quer economizar, é possível levar o carro a um lava-rápido ou posto, ou até mesmo comprar os produtos próprios e lavar em casa. Processos como higienização interna feitas por profissionais podem ser mais caros, mas também são uma necessidade periodicamente.

Se você gosta de estética automotiva, também pode considerar os gastos com procedimentos mais sofisticados, que deixam a lataria com aspecto de nova e aumenta a proteção contra arranhões: como espelhamento e vitrificação.

 

Garagem ou estacionamento

Você tem uma garagem em casa? Se sim, já é uma bela economia. Do contrário, talvez você considere alugar um espaço para guardar seu veículo. Esse gasto costuma ser mensal, mas é importante por questões de segurança, para a proteção contra roubos e o mau tempo também. Guardar o carro em um local apropriado também reduz o custo do seguro auto.

Ao sair de casa, também há gastos com estacionamento, afinal nem sempre há vagas na rua ou bairros seguros para deixar o carro. Então considere os gastos diários com shopping, mercado e outros tipo de estabelecimento, além do local onde você estaciona para trabalhar. Se sua cidade possui sistema de parquímetro, calcule também o gasto diário com Área Azul.

VOLTAR AO INÍCIO