Categorias

Quando devo trocar o óleo do motor?
17 set

Quando devo trocar o óleo do motor?

Você sabia que o óleo do motor interfere diretamente no desempenho do seu veículo? Há muitas peças que precisam de lubrificação para reduzir o atrito e o desgaste. O óleo é o responsável por esse trabalho, além de ajudar na manutenção da temperatura e evita fundição do motor. Você sabe quando fazer a troca do óleo, que cuidados deve ter ao escolher o lubrificante e como conservá-lo por mais tempo? Confira nossas dicas.

 

Porque devo trocar o óleo do motor?

Todo lubrificante tem um prazo para troca estabelecido pelas montadoras. Com o tempo, o óleo perde suas propriedades aditivas, se contamina e oxida, levando à formação de borra. Essa borra pode impedir a circulação ideal do óleo, comprometendo a lubrificação das peças internas do motor, aumentando o atrito e o desgaste.

 

Qual o nível ideal de óleo?

O óleo deve ser verificado com o motor frio e em locais planos. Antes da medição, é essencial que faça a limpeza da vareta com um papel toalha seco. A quantidade ideal deve estar entre as marcações “mínimo” e “máximo” da vareta.

Se o nível de óleo do veículo estiver baixo, isso pode comprometer a lubrificação e aumentar o atrito entre as peças, acelerando o desgaste. Esse óleo vai fazer falta em situação de curva, subidas e descidas íngremes. A consequência é a perda de potência, calor excessivo e até a fundição do motor, em casos mais sérios.

Já o excesso de óleo pode causar transbordamento. Por isso, será necessário drenar o óleo do cárter.

 

Quando trocar o lubrificante?

É muito importante respeitar os prazos de troca do fabricante para manter o desempenho do carro. Esse tempo pode variar segundo o tipo de motor, modelo ou marca.

Em carros mais antigos, é comum que se faça a troca a cada 5.000 km. Quando não se se sabe quando foi a última troca, pode-se fazer a substituição e depois verificar o nível e o consumo de óleo no período.

Já nos carros novos, a troca costuma ser feita com 10.000 km ou 12 meses de uso. Os períodos ideais para cada veículo serão especificados no seu manual.

Ao trocar o óleo, sempre troque também o filtro, pois as impurezas retidas nele pode contaminar e acelerar o envelhecimento do lubrificante novo.

 

O que pode reduzir o prazo de troca?

Algumas condições podem fazer com que seja necessário trocar o óleo antes do previsto, por isso, vale a pena fazer uma revisão se você enfrenta:

 

  • Engarrafamentos ou viagens constantes;
  • Tráfego em cidades muito quentes;
  • Situações de alagamento;

 

Pode misturar o óleo?

Em caso de vazamento, é possível completar o óleo usado com um novo, mas o ideal mesmo é fazer a troca completa. Se for completar com um lubrificante de outra marca, é preciso que tenha as mesmas características para não comprometer a eficiência do óleo ou o próprio motor.

Observe a base (sintético, semissintético ou mineral), o grau API (aditivação) e SAE (viscosidade). Essas informações devem respeitar o manual do veículo. A primeira é padronizada pela SAE (Sociedade dos Engenheiros Automobilísticos) e a segunda pelo API (American Petroleum Institute).

Não use aditivos no seu lubrificante. O óleo já vem com um conjunto de aditivos próprios, por isso, acrescentar aditivos pode não só causar a formação de depósitos, como também levar a perda da garantia do veículo.

 

Faça a troca em uma oficina de confiança

A troca de óleo não é algo que se indica fazer em casa, pois, se feita da forma errada, pode causar muitos danos e custos. O ideal é levar a um mecânico de confiança. Ele irá saber checar se o óleo não está pingando no motor ou se o bujão está fixado corretamente, entre outros detalhes.

Se o bujão (parafuso) do cárter não estiver encaixado da forma correta, pode acontecer vazamentos. E se deixar o óleo pingar sobre o motor, pode danificar as velas, a câmara de combustão ou o catalisador, causando danos e aumentando o gasto do combustível.

Leia também sobre quais cuidados você deve ter com o freio do seu carro.

VOLTAR AO INÍCIO