Categorias

Como o airbag do carro garante a sua segurança
20 jul

Como o airbag do carro garante a sua segurança

Desde 2014, todos os carros fabricados no Brasil devem possui airbags frontais para o motorista e o carona. A norma foi instituída pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em 2009, na intenção de reduzir os impactos em acidentes. Mas você sabe como esse sistema funciona e porque contribui para a sua segurança?

 

Inovação através dos tempos

Antes de se tornar a tecnologia impressionante que conhecemos hoje, o airbag passou por muitas fases. Segundo a Associação Brasileira de Distribuidores Volkswagen (Assobrav), o primeiro sistema foi criado em 1951. Patenteado pelos engenheiros Walter Linderer (Alemanha) e John Hedrick (EUA), essa versão era ativado pelo próprio motorista ou pelo para-choque. A invenção, porém, não era tão eficiente.

Em 1963, um japonês, Yasuzaburou Kobori, criou um sistema com múltiplas bolsas de ar, que protegia também no teto, nas laterais e nos bancos traseiros. Porém, o sistema era ativado a uma velocidade muito baixa, o que o tornava ineficiente. Quatro anos depois, outro americano, Allen K. Breed, criou o sensor eletromecânico, que permitia acionar a bolsa - utilizando uma carga explosivo - durante uma desaceleração brusca.

Já versão que utilizamos hoje foi idealizada em 1953, pelo engenheiro americano John W. Hetrick, que teve a experiência de sofrer um acidente de carro ao desviar de uma rocha na estrada e cair em uma vala. Hetrick e a esposa precisavam segurar a filha adolescente para que não atravessasse o painel do veículo. Na época, não se fazia o uso de cinto de segurança e só anos mais tarde que perceberam o quanto o esse equipamento simples era imprescindível, inclusive em associação com o airbag.

 

Da desaceleração do carro ao desinflar do airbag

O sistema atual de airbag é bastante inteligente. O dispositivo possui sensores de velocidade e é acionado após uma desaceleração brusca. Um sinal elétrico é enviado ao ignitor do gerador de gás, que possui substâncias que reagem entre si, gerando gás nitrogênio, que enche a bolsa muito rapidamente, em apenas 30 milésimos de segundo. O gás faz com que uma fina capa de plástico se abra a partir do centro e, ao começar a esvaziar - através de pequenos furos -, absorve o impacto do corpo.

Isso significa que o airbag é suficiente para salvar vidas? Não. Segundo o Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi Brasil), a chance de um motorista sobreviver a um acidente apenas com a proteção do airbag é de 12%. Já com cinto de segurança e airbag, essa chance aumenta para 51%.

 

Quando devo trocar meu airbag?

Caso os airbags sejam acionados, é necessário trocar todo o sistema. Do contrário, é preciso ficar atento à validade do dispositivo, que pode variar entre 10 e 15 anos, dependendo do fabricante - verifique o manual do proprietário. Também é importante ficar de olho no painel, caso indique a necessidade de manutenção.

Qualquer problema na fabricação do airbag, ou modificações após a compra do veículo, pode gerar graves consequências como lesões ou até morte. Quando verificado o erro na fabricação, a própria empresa chama os compradores para um recall. Em outros casos, cabe ao proprietário agendar a verificação com um profissional.

 

Alguns cuidados precisam ser tomados

O airbag ajuda a preservar a vida dos passageiros, mas também temos que tomar alguns cuidados para que o dispositivo funcione da forma correta. Tudo se trata de adequações de segurança ou deixar os maus hábitos de lado. Confira algumas dicas:

Use cinto de segurança. Esse equipamento permite conter o corpo na posição correta para ser atingido pelo airbag, sem que a pessoa deslize no banco.

Mantenha uma distância segura. Pessoas menores de 1,50m podem ser atingidas no rosto ao ser acionada a bolsa de ar, por isso, o motorista deve ficar a pelo menos 25 centímetros do volante. Caso não seja possível - mesmo com uso de prolongamento de pedal -, é mais seguro desativar o sistema. O mesmo vale para crianças que estiverem impossibilitadas de andar no banco traseiro, dentro das normas de segurança - com uso de cadeirinhas especiais de acordo com a idade.

Evite colocar os pés sobre o painel. Caso o airbag seja acionado, o impacto pode dobrar as pernas e lançá-las contra o rosto do passageiro.

Não coloque objetos sobre a peça com a inscrição “airbag”. Por menor que seja, qualquer objeto pode ser arremessado com violência, caso esteja sobre o painel.

Não transporte animais no colo. O impacto do airbag pode ser perigoso para o pet.

VOLTAR AO INÍCIO